diversas_feminismos  2018 | 2019 | 2020

Em 2018, depois de fazer parte do Grupo de Pesquisa e Produção Artivista Queer-Feminista (Ateliê Oriente e EAV Parque Lage), a artista passou a movimentar uma produção de colagens com cunho político feminista. Se utilizando de ironia e erotismo, é assertiva ao abordar questões sobre corpo e sexualidade, empoderamento feminino, bem como críticas ao sistema e à violência patriarcal capitalista. Percebendo que sua voz se expressa através das imagens, e mergulhada em referências de artistas (mulheres em especial), seu processo começou mesclando imagens com frases e palavras retiradas de revistas. Hoje, percebe-se uma experimentação visual mutante, com fio condutor "falar muito com pouco".