Anna Janot é designer gráfica e artista visual. Colagem? Amor. Desde sempre a técnica esteve presente em sua vida. Porém, foi em 2013 que esse fazer manual foi resgatado como forma de linguagem gráfica; tanto no design gráfico quanto nos trabalhos artísticos autorais.

A artista desenvolve séries e trabalhos singulares de temáticas diversas. Ora figurativos, ora mais abstratos. Em sua poética visual, explora formas, conceitos e conexões inesperadas que surgem durante o processo criativo. O que brilha os olhos é a liberdade e subjetividade ao brincar com elementos formais e inversão de escalas, criando contrastes visuais e conceituais. Assim, a diretriz que move suas produções é, através do olhar fantasioso e surreal, quebrar regras pré-estabelecidas e criar novas conceitualmente. 

A partir de 2018, a artista passou a movimentar uma produção de colagens artivistas, com cunho político-feminista. Se utilizando de ironia e erotismo, é assertiva ao abordar questões sobre corpo e sexualidade, afirmação e empoderamento, bem como críticas ao sistema e à violência patriarcal capitalista.

Já ministrou oficinas de experimentação em Colagem e também participa de feiras de artistas independentes. Já expôs coletivamente no Centro Cultural Municipal Oduvaldo Vianna Filho - Castelinho do Flamengo (2018), na Caixa Preta - Espaço de Arte Independente, no Well Well Well Project SP e, individualmente, no Mãe Joana Barbeer (2019).

forma-contra-forma

forma - contra - forma 

diversas_feminismos

diversas_feminismos

séries_feminismos

séries_feminismos 

fantasioso, surreal, diverso

surreal, fantasioso, diverso

miragem

miragem

Screen Shot 2020-07-05 at 18.03.31.png

el(l)e

self service

self service 

objeto não identificado

objeto não identificado

encomendas

encomendas